sábado, 11 de junho de 2011

"Estranha forma anônima de amar"*

Toda a espera é delicada
Porém, aguarda-me.

Toda a conquista é fascinante
Porém, descubra-me.

Toda a busca é incessante
Porém, encontre-me.

Somos sementes em espera
Porém, sem a certeza do encontro.

É tão estranho te querer de longe,
Tão arrebatador o que leio em teu olhar.

Tão sutil e desesperador esse tremor dentro do peito,
Tão estranha essa forma anônima de amar.

Fabrizio Salvatore Baglio
 
Essa é made in blog Interlúdio, sigam http://www.interludioemflor.blogspot.com/

4 comentários:

  1. Essa poesia é de autoria da poeta Nilvana Tereza Koppe ou vento de outono.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, busquei da internet e lá constava esse autor.

      Excluir
    2. Obrigada, busquei da internet e lá constava esse autor.

      Excluir
  2. Essa poesia é de autoria da poeta Nilvana Tereza Koppe ou vento de outono.

    ResponderExcluir

Olha Clau...